quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

SENHOR JUIZ, PARE AGORA!





Sabe, tenho muitos amigos, ou melhor, muitas pessoas com quem convivo e no meio dessas, como não poderia ser diferente, percebo muitos comportamentos, ideias, soluções, resoluções. Cada um tem a sua maneira de ver as coisas e de ver os outros. Há também entre esses excelentíssimos juízes – amigos. Explico: “juízes – amigos” são aqueles que, a todo tempo, consideram equívocos o que fazemos na melhor das intenções. Para eles, qualquer atitude que nos deixe feliz, merece ser rechaçada pelo simples prazer (ou, desprazer) de não aceitar o que somos e o que fazemos. Para esses excelentíssimos, donos da verdade, o que importa é não ver sorriso em nosso rosto. É ofensa. Importa que sejamos amargos como eles são ou que, forçadamente, comunguemos da sua constante tristeza interior. Mas, percebo que aqueles que mais se empenham em julgar são exatamente os que mais têm a esconder, ou seja, são estes os que mais mereciam estar no banco dos réus. Quando alguém faz isso, concluo, é exatamente por não aceitar em si próprio o que admira no outro, age assim por não admitir o comportamento do outro, a liberdade do outro, a felicidade do outro. Tenho muitos dessa classe no meu circulo de convivência! No entanto, tenho aprendido: seus veredictos não passam de tentativa barata de frear o inevitável avanço de quem apenas quer ser feliz. Para eles, a fatídica ordem: Senhor juiz, pare agora!

4 comentários:

Cristiane Carrillo disse...

Bem...ninguém tem nada a ver com a vida dos outros! Você paga as suas continhas e é isso que importa.
A opinião dos outros é mera convenção social...
Maaaaaaaaaaaaaaaaas, cada pessoa tem a sua "verdade" dos fatos. Algumas dessas pessoas ate morrem defendendo essa verdade...não seja um homem bomba!rs
De qualquer forma, eu sei q esse texto tem um fundo de desabafo por "n" motivos!
Eu respeito a opinião e a vida de qualquer um, mas aceitar determinadas atitudes não dá mesmo...
Esse assunto é muito amplo e eu poderia ficar aqui por horas e não esgotaria o tema..
Bem...estou postando um texto que explica mais ou menos a minha opinião sobre a vida e as consequências de nossos atos!
As Leis da física são verídicas...ação e reação!
O que fazemos hoje poderá (e vai) influênciar o restante de nossa vida e eternidade.

...vdj... disse...

A questão de "penso nisso, penso naquilo" é muito prolixa. Como cada um tem uma idéia definida, alguns passam a mão em nossa cabeça (q não é bom para os místicos qdo esse ato é feito fisicamente), outros então tentam ver a situação de modo mais frio e mais centrado. O que nos cabe é filtrar o que cada "julgamento" pode nos ensinar, mas sempre a opinião final é e deve ser nossa, pois as consequências virão pra cima de nós mesmos. É aí que vamos ver quão responsáveis nós somos ao encarar.

[]'s
.
.
.

Cristiane Carrillo disse...

Tem dois selos esperando por vc lá no meu blog! Abraços

Lidson disse...

Analisando todos estes textos e vendo todas estas quetões e nitido que muitos dos problemas que achamos que seja social,e preconceito em ambas as ocorrentes,vem se agravando cada vez por mais por conta de um fator determinante que as pessoas ja deveriam ter chamado pra si a responsabilidade de assumir o que realmente é!!! Acontece que muitos não admitem sua forma real de ser e julgam a sociedade como avasaladora de sentimentos mais e obvio que antes de encarar uma sociedade dura e cruel e importante que você primeiramente aceite-se como é ,erga a cabeça e mostre sua forma de agir de pensar independentemente do que for.O fato do Preconceito ainda existir e porque muitos ainda não encaram suas proprias convicções.E tempo de mudança levantando a bandeira e assumindo sua verdadeira face pois chega de mentiras para esconder a verdadeira verdade. textos detes tipos deveriam sempre existir e sempre bom, discutir um pouco tais questões,e outros problemas que sempre estão ai a olhos nu à nossa frente! O blog esta de parabéns sempre meu amigo e bom nisso ele sabe como atingir e exportar sentimentos de questões antes tão cavernosas... Um abraço ao meu amigo Vitor sempre, pela iniciativa.