quarta-feira, 4 de março de 2009

A verdade de alguns e a verdade de outros



O que me garante afirmar que o que digo e penso é verdade? A resposta é NADA! Salvo apenas pelas experiências que tenho e que sustentam minha posição a respeito de determinado assunto, nada pode tornar – me (como a ninguém pode) detentor da VERDADE ABSOLUTA e INCONTESTÁVEL, mesmo que o que digo esteja baseado no que acredito e que julgue também como certo.
Isso, no entanto, não é motivo de desespero, ou razão para deixar de acreditar nos outros, na vida ou em mim mesmo. A questão é que cada um carrega sobre si o peso da sua própria “verdade”. Por exemplo: senhores engravatados (não falo apenas de políticos, falo também de pastores, juízes, burocratas), de sentados diante do seu computador, refrescados por um condicionador de ar e com um galão de água mineral num refrigerador jamais entenderão o sofrimento de pessoas que vivem nos rincões do Brasil e que sofrem pela falta d’água em seus municípios. Assim é por que essa é a verdade desse povo. Imaginar que há pessoas que nunca tomaram um banho de chuveiro, como noticiou o FANTÁSTICO do último domingo, dia 01 de março – e não é o fato em si, mas o que o causa – para mim, é inconcebível. Parece ser simples, mas não é!
É fácil emitir opinião (que, na maioria dos casos, é apenas falácia) quando não se conhece a dor que o OUTRO sente. E ai está outra palavrinha que nos acostumamos a desprezar, o OUTRO. O que será que ele tem a dizer? O que ele sente? Qual sua verdade? Culpam a correria das cidades grandes pelo fato de não ser mais possível parar para saber o que sente o vizinho do lado, ou qual seria sua opinião a respeito desse ou daquele assunto. Mas, penso que não é por isso: o mau que a contemporaneidade nos trouxe com mais vigor foi de achar que, porque sabemos muito sobre algo isso nos confere o direito de impor esse conhecimento como verdade absoluta. E a verdade do outro? E a vivência que ele tem? O conhecimento que ele possui? A minha verdade não é a verdade do outro. Essa sim é a VERDADE! Eu tenho visto, nesses tempos, o retorno implacável da força da intolerância, motivado pela cegueira de convicções pessoais e egoístas ou por ignorância de fatos que apenas o OUTRO pode valorar. Diante disso, reproduzo aqui a fala da Ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff – por quem não tem tenho simpatia, mas que me emocionou nessa situação: durante uma CPI para a qual foi convocada, o senador José Agripino Maia (DEM/RN) sugeriu que, por ter mentido no período em que esteve presa durante a ditadura, também poderia estar mentindo sobre o vazamento de dados que formaram o dossiê sobre os gastos de FHC. Ela respondeu: “Eu fui barbaramente torturada, senador. Qualquer pessoa que ousar falar a verdade para os torturadores, entrega os seus iguais. Eu me orgulho muito de ter mentido na tortura, senador.” Essa era a verdade dela, foi a vida dela!


E a minha? E a sua?

5 comentários:

black disse...

Parabens vitor...Voce como sempre Claro e Objetivos em suas Opinioes...concordo com vc...continue a escrever..akele abraço!!!

...vdj... disse...

Máscaras, verdades, mentiras, argumentos, desculpas, comodismo, descaso, pressão... somos passíveis de tudo isso. O que pode fazer bem pra mim, pode não ser bom para o outro.
Tudo proxilo, entretanto não deixa de ser assimilável.

Bom texto... até + !

[]'s
.
.
.

Cristiane Carrillo disse...

Bem... só existe uma verdade. O que existe são diferentes pontos de vista. Cada um toma para si o que acha mais conveniente. Deus existe: verdade infalível! Mas como alguns preferem ignorar a existência dEle, motivo? é mais facil ignorar e "aproveitar" a vida!

CHARLES SANTE disse...

Concordo com a Cris... Vitooooooooooooooooooooooor, adoro as imagens que vc coloca no blog... essa da mulher tirando a máscara é muito forte. Sou seu fã sempre!

CHARLES SANTE disse...

Obrigado po visitar meu blos sempre! xD