quarta-feira, 18 de março de 2009

LUTO 2


Havia dito na postagem anterior, parafraseando um amigo, que o mundo ficara menos inteligente com a perda, que considero prematura, do nobre Clodovil. Não quero aqui canonizá-lo como sempre fazem com todos os que morrem: viram tão bons que os santos do céu se assustam quando eles chegam por lá. Não é isso. Apesar de sempre considerar a forma de agir, muitas vezes equivocada em razão de um transtorno bipolar evidente, é inegável a grandeza de seu legado de cultura, inteligência e beleza. Hoje, dia 18 de março, seu corpo está sendo velado em São Paulo, terra que o acolheu e por vezes o rechaçou, mas que sempre foi palco para suas magníficas criações de moda e estilo e sempre será o berço das boas lembranças que tivermos dele. Como disse Ricardo Feltrin, Secretário de Redação da Folha Online e apresentador do programa OOOPS do portal UOL, “Clodovil foi uma vida de extremos. Muitas vezes, depois de duas ou três frases raivosas, se acalmava novamente e, como mágica, se tornava dócil. Até a próxima combustão”.
E eu o idolatrava! Mesmo de longe, velo seu corpo e sua memória.

2 comentários:

black disse...

Sem duvidas.."polemico"..o Clodovil sempre que estava em uma entrevista..tds parava para escultar suas palavras..era o unico que dizia td ki pensava em frente as cameras..nao vi ate Hj ninguem na Tv ki tenha a corajem ki ele teve...tbm o considerava um homem muito inteligente.

...vdj... disse...

De fato, em meio às transgressões que ele fez e, não fosse por isso, não teria tido toda a atenção e respeito (sim) por todos, até os que o criticavam.
Quando Clodovil falava, todos prestavam atenção, mesmo não sendo algo relevante, mas sua figura tinha uma grandeza única, como poucos.

[]'s
.
.
.