quarta-feira, 11 de março de 2009

APLAUDIR OU NÃO APLAUDIR? EIS A QUESTÃO


As pessoas só nos aplaudem por dois motivos: o primeiro, por que gostam do que fazemos e não vêem nossos defeitos. O outro é simples, direto e realista: querem nos agradar por que temos algo que lhes interessa. Desses dois tipos eu tenho medo. Tenho medo porque são cegos, ou vêem apenas o que querem ver ou, ainda, e que é pior, vêem o que não deveriam ver.
Eu prefiro os que rasgam as minhas vestes e se desnudam também, no intuito de mostrar a mim mesmo que eu sou e no afã de dizerem quem são. Gosto dos que, honestamente, (e essa é a única condição em que permito isso) põe o dedo na minha cara e dizem: - Você errou! Com esses, sim, está a verdade. Eu gosto dos que têm fome, já disse alguém numa canção. E eu concordo. Se alguém é muito aplaudido, se ouve sempre SIM, se lhe é afagado sempre o EGO, o seu fim será a devassidão, a loucura, a insensatez, certeza infundada e inatingível de querer dominar o mundo com suas verdades proclamadas. Ao que aplaude, seu despojo será reconhecer inevitavelmente a fraqueza do ídolo, a falibilidade do ídolo. Será o fim... Se alguém muito aplaude é porque não consegue pensar por si próprio, discernir, depende da emoção que vem do seu ídolo.
Desconfie de quem muito aplaude; desconfie de quem é muito aplaudido. Atrás desses é possível que não haja nenhuma razão de ser o que são, a não ser o enorme desejo de esconder do que eles não têm, isto é, NADA.
Fim do show!

3 comentários:

...vdj... disse...

Hipocrisia e deslumbramento são peças chaves para a falta de discernimento do que é significativamente importante - "o ser" em sua realiza literal. Reconhecer que somos bons é uma coisa boa, quando se tem convicção e simplicidade. Mendigar isso é totalmente oposto. O mesmo serve pra quem fica na platéia.

"O que nos cabe é saber fazer com o tempo que nos é dado."
[Gandalf - O Senhor dos Anéis]

[]'s
.
.
.

k_dubass disse...

Nem sempre desejamos o que a gente acha bonito, lindo ou até maravilhoso, acho melhor então falar por mim. Acredito sim que existam os dois casos citados pelo meu brother Vt, porém, existe o caso do costume. Plaudimos nossos filhos, seus primeiros passos, quando aprendem coisas novas, nesse caso acho que o aplauso é sinonimo de orgulho, sem a maldita aflição de desejar nem mendigar algo que não nos pertence. paz grande brother. e palmas pra ele que ele merece.

Wesley Lustosa disse...

Sr. Vitor. Quero antes de comerçar o comentário dizer que... eu sinto muito... Descordo de alguns trexos do texto "Aplaudir ou não aplaudir? eis a questão"

Umas das coisas mais belas do mundo... é aplaudido sem que tenhamos que ser falsos, hipocritas ou coisas desse gênero.

A arte!

Eu por exemplo sou um adimirador das artes: seja ela qual for... música, dança, teatro, poesia artes plásticas...
E sempre ao final de cada uma dessas artes eu aplaudo, sem querer nada em troca e isso não quer dizer que eu não consiga pensar por conta própria e não que eu desconheça os defeitos dos ídolo, afinal eu adimiro a arte que ele faz... e não o que ele é... São coisas tolmente diferentes uma das outras! Mais claro, existem pessoas que realmente pensam assim.

Temos que entender que na vida (no mundo) Nada é 100% tudo... absolutamente tudo é RELATIVO!
Não é só por que alguém aplauda com hipocrisia, que eu também vá aplaudir da mesma forma não!