quarta-feira, 19 de agosto de 2009

BREVE POEMA

Posso estar errado
mas prefiro achar que estou certo
por que ninguém sabe o que virá amanhã
e ninguém sabe o que virá depois de mim

Só sei que sigo
e, às vezes ligo, para o que pensam
e para o que dizem
quando saio ao sol com meu guarda chuva estelar

Eu sou antítese, eu sou para e sou doxo
eu sou tanta coisa
que, às vezes, nem sei se cheguei a ser

Certeza, porém, tenho de que sou o que escrevo
me vejo nas muitas páginas que leio
me vejo perdido no que nunca vou deixar de procurar... Sei que este não é o fim.

Por Vítor Farias

3 comentários:

Jôn disse...

Parabéns, Vitão!
Bem que falei antes mesmo de ver que você levava jeito com as palavras...
Muito show o poema Breve Poema, curti o "antíntese", "para e doxo" e guarda-chuva estelar!

Abração e Parabéns!

Janisléia disse...

Hummmm...
Esse meu amigo!
Que lindo poema, Vitor!!

Jamylle Carvalho disse...

Lindo, lindo, lindo!
Adoreei.
*-*