quinta-feira, 17 de junho de 2010

É BOM LEMBRAR QUE SUZANA MATOU OS PAIS

O Tribunal de Justiça de São Paulo negou nesta quinta-feira (17) progressão de regime ao semiaberto a Suzane von Richthofen, condenada pela morte dos pais. A decisão foi unânime na 5ª Câmara Criminal. “A agravante [Suzane] ainda não está preparada para o convívio social”, justificou o desembargador Damião Cogan, relator do recurso.
Suzane foi condenada em julho de 2007 a 39 anos de reclusão, em regime fechado, pelo assassinato dos pais, Manfred e Marísia von Richthofen. Depois teve a pena reduzida para 38 anos. O crime aconteceu em 2002. A defesa de Suzane já ingressou na Justiça com vários recursos para que sua cliente possa cumprir o restante da pena em regime semiaberto. Até agora, todos os pedidos foram negados. Ela matou violentamente os pais.
Depois de cumprir um sexto da pena, Suzane pediu à Justiça a progressão de regime penal, do regime fechado para o semiaberto. Suzane matou covardemente os pais. O pleito foi inicialmente negado pela 1ª Vara de Execuções Criminais de Taubaté. Em sua decisão, a juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani alegou que Suzane é uma "pessoa presumivelmente perigosa" e dissimulada. Ela matou descaradamente os pais.
A defesa recorreu ao Tribunal de Justiça. Seus advogados sustentam que a sentença de primeiro grau é um absurdo jurídico e que bom comportamento não pode ser dissimulação.
Os advogados argumentam que há mais de um ano Suzane cumpriu o prazo especificado pela Lei de Execuções Penais para a progressão de regime e que estão preenchidos outros requisitos, tais como ter se apresentado, sempre, de forma espontânea, trabalhar na prisão e contar com um laudo favorável, elaborador por um professor de criminologia clínica, apesar de ter matado os pais.
Suzane tem a seu favor bom comportamento carcerário. Além disso, a defesa aponta que sua cliente frequenta cultos evangélicos e, desde 2007, trabalha na oficina de costura da cadeia, sendo considerada uma presa exemplar pelos servidores da penitenciária, tendo, contudo, matado os próprios pais.

Texto original: UOL

3 comentários:

Nielsen Macambira disse...

Será que psicopatas tem cura? Eu acredito que não. Estudos já comprovaram que eles podem até dissimular uma 'cura' com bom comportamento, boas palavras, coisa e tal, mas bem lá no fundo, continuam insensíveis a dor alheia e tão monstruosos quanto do momento em que praticaram seus crimes. Suzane não sente culpa ou arrependimento, é típico dos psicopatas não sentirem remorso.

Hiddai disse...

Não importa covarde ou descaradamente morto, o caso é que ela matou os pais dela e ela tem que largar o peso da justiça.
É impossível tolerar esses crimes.

Anônimo disse...

Essa mulher tem que está presa mesmo...até aprender a ser gente...kkk